Proposta está alinhada com as diretrizes apresentadas pelo grupo de trabalho interministerial, no âmbito de ciência e tecnologia, do Plano Nacional de Fertilizantes
Arede de pesquisa dedicada à geração de tecnologias e produtos com potencial de inovação na área de fertilizantes, FertBrasil, receberá aporte de R$11 milhões do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). O montante é o maior investimento do MCTI na área desde 2014. Os recursos são oriundos do Fundo Setorial de Agronegócio. A proposta foi aprovada em 2021 na modalidade contratação direta e a contratação será feita por meio da FINEP/MCTI. Os recursos serão investidos para apoiar as atividades da Rede no biênio 2022/2023.

O embasamento da proposta está relacionado às discussões do Grupo de Trabalho Interministerial na linha ciência e tecnologia, coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), que contribuiu com a construção do Plano Nacional de Fertilizantes, lançado pelo Governo Federal nesta sexta-feira (11), no Palácio do Planalto, em Brasília. O ministro substituto do MCTI, Sergio Freitas, participou da cerimônia de lançamento.

“Conforme avançamos nas discussões no âmbito do grupo de trabalho interministerial, observamos que as necessidades nacionais na área de fertilizantes convergiam com as iniciativas de pesquisa da Rede FertBrasil. Acreditamos que o trabalho em rede é um esforço que pode acelerar a geração de tecnologias e produtos”, avalia o secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Morales.

Antes do conflito no leste europeu acender o debate público em torno do tema, o contexto da pandemia já havia mobilizado pesquisadores e técnicos do MCTI em torno de soluções para enfrentar o agravamento da dependência externa de fertilizantes, que chega a 80% da demanda nacional. A pasta já abordava o assunto dentro do plano de ação em ciência, tecnologia e inovações para agropecuária sustentável, mas era preciso focar mais em temas como uso da biotecnologia e nas cadeias emergentes de fertilizantes.

O apoio à Rede FertBrasil tem por objetivo consolidar a rede de pesquisa, desenvolvimento e inovação como referência nacional para desenvolver, avaliar, validar e transferir tecnologias adaptadas aos agroecossistemas tropicais. Criada em 2008 pela Embrapa Solos, referência internacional em solos tropicais, a rede de pesquisa reuniu, entre 2009 e 2018, mais de 350 especialistas, de mais de 25 Instituições de Ciência e Tecnologia nacionais e internacionais em 21 projetos.

O trabalho da Rede FertBrasil envolverá seis subprojetos: gestão e governança do projeto em rede; tecnologias para o aumento da eficiência de uso e novas fontes de nutrientes para a agricultura brasileira; rede de ensaios agronômicos para validação de tecnologias para aumento da eficiência e de novas fontes de nutrientes para a agricultura brasileira; sustentabilidade ambiental; análise de ciclo de vida de bioinsumos e ampliação e modernização do laboratório multiusuário de tecnologias em fertilizantes tropicais da rede.

Entre os objetivos específicos está a reativação e ampliação da rede nacional de ensaios agronômicos para a validação de novas tecnologias em produtos e processos para o fornecimento de nutrientes e diminuição dos riscos ambientais no Brasil.

Além disso, espera-se introduzir na matriz de produção de fertilizantes o fornecimento de nutrientes de processos biológicos, por meio de bioinsumos; desenvolver e validar agronomicamente nanofertilizantes; novas rotas tecnológicas industriais com fontes de energia limpa e mais eficientes por meio da produção e aproveitamento de amônia verde; desenvolver tecnologias para otimizar do processo de fixação biológica de nitrogênio para sistemas biológicos pouco eficientes, entre outros.

Mais investimentos no setor – Além do investimento na rede de pesquisa, a articulação ministerial prevê outras ações alinhadas e complementares para a agropecuária sustentável. O MCTI irá instituir em breve um comitê de especialistas que vai conduzir as discussões sobre ciência e tecnologia na área de solos, fertilizantes e nutrição de plantas. No âmbito do FNDCT, está sob avaliação o pleito de recursos para lançamento de Chamada Pública para financiamento de projetos pesquisa, desenvolvimento e inovação nestes temas, apresentado ao CT – Agro, e também recursos de Subvenção Econômica para apoio à pesquisa e inovação nas empresas.

Plano Nacional de Fertilizantes – O Plano Nacional de Fertilizantes será uma referência para o planejamento do setor de fertilizantes até 2050 e uma ferramenta para reduzir a dependência do Brasil em relação aos fertilizantes importados e, consequentemente, às vulnerabilidades decorrentes, como disponibilidade de matéria-prima e variação de preços. O plano apresenta 30 metas e 130 ações estratégicas. Na cerimônia de lançamento, foi assinado o decreto de Criação do Conselho Nacional de Fertilizantes e Nutrição de Plantas, que contempla quatro câmaras setoriais para a implementação do Plano. A elaboração foi coordenada pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República.

Categoria
Ciência e Tecnologia
Tags: AGRONEGÓCIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.